Erro

Erro, errei e vou errar,

é verdade!

Nunca conheci ninguém que assumisse,

tantas vezes o mesmo erro.

Algo teria que mudar.

E confesso que não é por não processar,

tento lá chegar,

a meu tempo,

mas meu tempo, move-se devagar.

E muda, molda e forma,

com tempo e de tempo a tempo,

nos põe noutro lugar.

Longe.

E entretanto erro.

Aprendo.

Erro novamente.

Encontro-me a afastar.

Já nem falo de insanidade,

falo de certeza,

que quando é tempo,

já não vou a tempo,

o que lá estava já não está,

ando sempre demasiado devagar,

entretanto tudo mudou,

ia lá chegar,

pensava…

Não dei o passo,

para a próxima, penso,

errei,

e vou continuar a errar…

Só com o erro é que há aprendizagem,

façamos o que seja melhor,

para viver e saber aprender,

desse mesmo erro,

e permitir ter a humildade de errar.

Entretanto permanecerei no esquecimento

do erro que errei,

demasiado devagar,

desloco-me para outro lugar.

A meu tempo,

devagar.

Imagem Brett Jordan no Unsplash

19 thoughts on “Erro

  1. Beautiful learning propagated by your poem Irina. We all make mistakes, and many times the reason and judgement of the mistake itself is very relative and circumstantial. Our biggest learnings come from understanding the cause of our mistakes and learn to avoid them. And from our unbiased acceptance of the mistakes made by others and learning to consider the circumstances under which it is made. The world would indeed be a very beautiful place if we could all follow the same principles and not provoke others by being judgemental. I really liked your poem a lot.

    1. I agree Deb. We would be much more humble and truthful when we demonstrate that we are also wrong. That everything has its points of view and that the mistakes of some may not be of others. A simple “I missed” is a step. Thank you for your kind words.

  2. Será que…. esse “erro” que já conheceu o passado, voltou a surgir no presente e à partida poderá aparecer no futuro é realmente um “erro”?

    1. Exactamente. Será realmente um erro? Para conseguir reflectir sobre ele talvez já não seja um erro, não é? Do erro retira-se sempre as melhores aprendizagens e será que foi erro? Pôs-me a pensar…
      Como sempre Dulce, um beijinho grande, uma exelente semana. Um abraço quentinho.

  3. O importante ë aprender com os erros, mas eles insistem em aparecer, e voltamos a errar, mesmo conscientemente. Qual será a razão? Teimosia, alguma desatenção,…
    Um abraço, Irina.

    1. Tantas condicionantes a nos porem à prova, constantemente. A razão, errar até aprender? Será? Não sei responder senão não errava mais.
      Um abraço Silvana.

    1. Muito obrigada Cris.
      Admito que tenho tantos erros sabe? Mas dos erros, aprendizagens, essa é a parte boa.
      Um abraço e um beijinho muito grande. 🤗

Comments are closed.