Post I

Ainda não sei para onde vou

mas consigo ouvir os meus passos 

a ecoarem por movimentação.

Sentimento estranho este

sempre me escapou

nem perdida nem achada

sempre me acompanhou.

Agora, novamente sinto pertença 

não sei bem ao quê nem porquê.

A ser, como sou.

Tantas vezes paralisados

nossos momentos interiores 

precisam ser alterados

para os exteriores

serem alcançados.

Devagar e com ponderação,

sem ansiedade mas com compreensão

de nós mesmos.